Economia portuguesa regista excedente externo de 6.219,7 milhões de euros até setembro

ECONOMIA PORTUGUESA APRESENTA EXCEDENTE EXTERNO DE 6.219,7 MILHÕES DE EUROS ATÉ SETEMBRO

A economia portuguesa registou um excedente externo de 6.219,7 milhões de euros até setembro, comparado com um défice de 1.606,6 milhões de euros no mesmo período de 2022, de acordo com o Banco de Portugal. Este excedente nas balanças corrente e de capital representa 3,2% do PIB nesse período, sendo resultado principalmente do terceiro trimestre do ano.

A posição de investimento internacional de Portugal passou de -83,6% do PIB no final de 2022 para -74,3% no final do terceiro trimestre de 2023. A análise compara o mês de setembro com o mesmo mês do ano anterior, assim como o acumulado dos nove meses com o período homólogo.

No mês de setembro, as balanças corrente e de capital apresentaram um saldo de 1,2 mil milhões de euros, um aumento de mil milhões de euros em comparação com o mesmo mês do ano passado. A balança de bens e serviços tornou-se excedentária, com um saldo de 756 milhões de euros, resultado da redução do défice da balança de bens devido à diminuição das importações e exportações.

MAIS:  BBVA muda escritório para Two Manhattan West em Nova Iorque

As exportações de serviços aumentaram, principalmente no setor de viagens e turismo, que atingiu o valor mais elevado da série para um mês de setembro, com 2.789 milhões de euros. O saldo da balança de rendimento primário foi de um défice de 270 milhões de euros, enquanto a balança de rendimento secundário registou um saldo positivo de 499 milhões de euros.

A balança de capital teve um excedente de 229 milhões de euros, representando uma diminuição de 14 milhões de euros em relação ao período homólogo. Durante os primeiros nove meses do ano, o excedente da balança de capital aumentou devido a um maior investimento da União Europeia.

A capacidade de financiamento da economia portuguesa em setembro de 2023 foi de 1.352 milhões de euros, refletindo a redução dos ativos financeiros e passivos externos. Nos primeiros nove meses do ano, a capacidade de financiamento atingiu um saldo de 6.698 milhões de euros.

Portugal apresentou uma posição de investimento internacional menos negativa, com -74,3% do PIB, e a dívida externa líquida diminuiu de 161,6 mil milhões de euros para 149,2 mil milhões de euros no final do terceiro trimestre.

MAIS:  Bolsa de Lisboa encerra com ligeiras perdas, Galp e BCP recuam