Emirados Árabes Unidos propõem via intermédia para redução de combustíveis fósseis na COP28

OS EMIRADOS ÁRABES UNIDOS PROPOEM VIA INTERMÉDIA DE REDUÇÃO DE COMBUSTÍVEIS FÓSSEIS

Os Emirados Árabes Unidos (EAU), que presidem à 28.ª Conferência das Nações Unidas sobre o Clima (COP28), propuseram uma via intermédia para reduzir a utilização de combustíveis fósseis em todo o mundo, gorando expectativas a muitos países e organizações.

DECEPÇÃO EM RELAÇÃO À REDUÇÃO DE COMBUSTÍVEIS FÓSSEIS

O novo texto, refere a agência noticiosa France-Presse (AFP), provocou uma “grande desilusão” aos países e organizações não-governamentais (ONG) que esperavam um apelo claro à “eliminação progressiva” do petróleo, do gás e do carvão, responsáveis pelo aquecimento global.

META DE REDUÇÃO DE COMBUSTÍVEIS FÓSSEIS

Segundo a nova redação, apela-se à redução do consumo e da produção de combustíveis fósseis “de uma forma justa, ordenada e equitativa”, de modo a atingir o zero líquido (neutralidade carbónica) antes ou por volta de 2050, “tal como recomendado pela ciência”.

MENOS ÊNFASE NA SAÍDA DOS COMBUSTÍVEIS FÓSSEIS

Mas o texto deixa de referir a palavra “saída” dos combustíveis fósseis, incluindo agora todo um cardápio de desejos dos países produtores e exportadores de petróleo, como a menção de tecnologias incipientes de captura e armazenamento de carbono, que exigem para continuar a bombear hidrocarbonetos.

MAIS:  Queda de 0,85% na bolsa de Lisboa com destaque para a Galp

REDUÇÃO DO CARVÃO

No que se refere ao carvão, o texto apela a uma “rápida redução sem captura de carbono”, mas também a “limites às autorizações concedidas para novas centrais elétricas a carvão” sem captura de dióxido de carbono.

RETROCESSO EM RELAÇÃO ÀS VERSÕES ANTERIORES

Para a AFP, tal conclusão em relação ao carvão, constitui, de facto, um retrocesso em relação à COP de Glasgow, há dois anos, quando não foram concedidos cheques em branco para novas centrais elétricas.

TECNOLOGIAS DE BAIXAS EMISSÕES

Um parágrafo do texto de 21 páginas cita também as tecnologias de “baixas emissões”, incluindo a nuclear, a captura de carbono e o hidrogénio de “baixo carbono”, “para aumentar os esforços de substituição dos combustíveis fósseis ininterruptos nos sistemas energéticos”.

REAÇÕES

À medida que os negociadores e os observadores iam desvendando o texto, começaram a surgir reações do Dubai, desde as moderadas às indignadas. Diversas pessoas e representantes de organizações criticaram as propostas, considerando que são mais fracas do que as anteriores e que representam um retrocesso.

MAIS:  Falta de transparência na informação sobre o impacto do PRR

O TEMPO ESTÁ ACABANDO

O secretário-geral da ONU, António Guterres, afirmou que estamos numa corrida contra o tempo e apelou aos países para que demonstrem flexibilidade máxima. A Cimeira do Clima COP28 deve apelar a uma “eliminação progressiva dos combustíveis fósseis”, com apoio dos países ricos para ajudar os países mais pobres na transição energética.