Banco Central Europeu mantém rumo restritivo e atenua expectativas de redução das taxas de juro

 

O BCE mantém o rumo monetário restritivo e atenua expectativas de redução das taxas

O Banco Central Europeu (BCE) deverá manter na primeira reunião do ano o rumo monetário restritivo e continuar a atenuar as expectativas de uma rápida redução das taxas de juro. O BCE está a marcar uma pausa no ciclo de aperto monetário, após ter aumentado as taxas diratoras dez vezes desde meados de 2022.

 

Persistem crises múltiplas e aumentos nos custos de energia e transporte

Num contexto de crises múltiplas, como a guerra entre Israel e o Hamas e a crise no Mar Vermelho, que têm aumentado os custos dos transportes, os banqueiros centrais do BCE deverão manter as taxas inalteradas.

 

Probabilidades baixas de relaxamento da política monetária antes do Verão

Os membros do BCE afirmaram que é improvável que a instituição relaxe a política monetária antes do Verão. A presidente do BCE, Christine Lagarde, considera “prováveis” cortes nas taxas durante este período, dependendo dos dados futuros sobre a evolução dos preços e dos salários.

MAIS:  Nove dicas para manter a sua casa segura durante as festividades

 

Mercados financeiros já precificam um primeiro corte nos juros

Apesar da postura restritiva do BCE, os mercados financeiros já estão a precificar um primeiro corte nos juros durante a primeira metade do ano, com mais quatro a seguir até ao final de 2024. Esta expectativa é impulsionada pelas projeções de evolução da inflação e pela necessidade de estimular o crescimento económico e contrabalançar riscos de recessão.

 

Inflação ainda não está numa trajetória credível rumo ao objetivo de estabilidade de preços

O BCE deverá reafirmar a sua cautela em relação ao primeiro corte nos juros, uma vez que a inflação ainda não está numa trajetória credível rumo ao objetivo de estabilidade de preços de 2%. A inflação subjacente subiu 3,4% em dezembro, em termos anuais, e existe a possibilidade de as subidas salariais exercerem uma maior pressão inflacionista este ano.

 

Atualmente, a taxa diretora de depósitos remuneradores está fixada em 4%

A taxa diretora de depósitos remuneradores, que serve de referência para o crédito na zona euro, está atualmente fixada em 4%. O elevado custo do dinheiro tem limitado a procura de crédito e ajudado a controlar os preços que dispararam com os efeitos da guerra na Ucrânia.

MAIS:  Wallapop celebra primeiro ano em Portugal e espera fechar o ano com receitas globais de 100 milhões de euros

 

Aumento dos preços no consumidor atingiu 2,9% em dezembro

O aumento dos preços no consumidor atingiu 2,9% em dezembro, na zona euro, representando um ligeiro salto em relação aos 2,4% registados em novembro.

 

Discussão sobre redução das taxas de juro

Espera-se que o Conselho do BCE discuta a redução das taxas de juro na reunião de quinta-feira. No entanto, a presidente Christine Lagarde afirmou que oficialmente nenhuma discussão ocorreu para não alimentar a especulação.

TITULAR: 
Keywords: