A Galp registra uma queda de quase 4% e Lisboa segue as perdas europeias

BOLEIA DE LISBOA CAI 1,41%:
A bolsa de Lisboa registrou uma queda de 1,41% na sessão desta quarta-feira, alcançando 6.324,60 pontos. Essa queda está alinhada com o sentimento negativo que se espalhou pelas principais bolsas europeias.

Títulos da Galp e EDP desvalorizam

Os títulos da Galp desvalorizaram em 3,99%, chegando a 14,32 euros, enquanto a EDP caiu 2,83%, caindo para 4,259 euros. A EDP Renováveis também perdeu 1,59%, ficando em 15,80 euros, e a Jerónimo Martins teve uma queda de 1,40% chegando a 21,14 euros.

Mota-Engil registra a maior subida

Por outro lado, a Mota-Engil teve o maior aumento, com suas ações subindo 1,57% e alcançando os 4,52 euros.

Principais mercados europeus têm quedas

Entre os principais mercados europeus, o maior índice de Londres teve uma queda de 1,50%. Em seguida, a Espanha recuou 1,26%, a França perdeu 1,07% e o índice agregado Euro Stoxx 50 teve uma queda de 1,00%. O índice alemão mais importante caiu 0,90% e a queda na Itália foi de 0,81%.

Comentários dos analistas

De acordo com a análise do departamento de mercados acionários do Millenium Investment Banking, “foi uma sessão de correção para os principais índices de ações europeus. No entanto, durante a tarde, o sentimento negativo aliviou, especialmente após o NAHB ser revelado às 15h, horário em que foi demonstrada uma melhora surpreendente em janeiro, em relação ao mercado imobiliário americano, o qual tem uma correlação histórica com o S&P 500. Isso foi impulsionado pelas taxas de hipoteca mais baixas, que aumentaram o fluxo de clientes, as vendas e as perspectivas dos construtores para a demanda”.

MAIS:  Banco de Portugal acredita em prudência na distribuição de lucros e melhoria do rating dos bancos

“Um pouco mais cedo, também foi divulgado que a produção industrial nos EUA se expandiu inesperadamente no último mês de 2023 e as vendas no varejo no país cresceram mais do que o esperado em dezembro, o que ajudou a amenizar as preocupações trazidas durante a manhã com a divulgação de que a economia chinesa cresceu abaixo do esperado no quarto trimestre”, acrescentaram os mesmos analistas.

“A meio da manhã também foi confirmado que a inflação na Zona Euro subiu em dezembro, como previsto, e isso pode também pesar na mente dos investidores. Estudos mostram que as pressões globais até diminuíram e a variação é em grande parte justificada por um efeito de base na componente energética, que em 2022 teve impacto da atribuição de subsídio de preços de eletricidade na Alemanha”, acrescentaram ainda.