Investimento alemão de 15 milhões de euros impulsiona pesquisa de cannabis medicinal em Portugal

Alemanha investe 15 milhões de euros em pesquisa de cannabis medicinal em Portugal

A empresa alemã Avextra, especializada em cannabis medicinal, anunciou um investimento de 15 milhões de euros ao longo de cinco anos em uma parceria estratégica de pesquisa e desenvolvimento (P&D) com o Instituto Universitário de Ciências da Saúde-Cooperativa de Ensino Superior Politécnico e Universitário (IUCS-CESPU) em Portugal.

A parceria terá foco em ensaios clínicos, desenvolvimento de dispositivos médicos e metodologia de extração de cannabis. A Avextra também se compromete a colaborar na supervisão de programas de mestrado e doutorado em Ciências Biomédicas e Toxicologia do IUCS-CESPU.

O investimento é apoiado pela Iberis Capital, uma empresa de private equity portuguesa e maior acionista individual da Avextra, que poderá aumentar o investimento com base nos resultados da pesquisa.

A Avextra destaca que este é um grande investimento em Portugal dedicado à pesquisa e desenvolvimento farmacêutico da cannabis medicinal. A empresa construiu um centro de P&D em Grândola em 2022, com um investimento de nove milhões de euros da Iberis Capital.

MAIS:  Número de insolvências em Portugal atinge valor mais elevado em 2023

O CEO da Avextra, Bernhard Babel, afirma que a parceria com o IUCS-CESPU permitirá avançar na pesquisa de medicamentos inovadores à base de cannabis para atender às necessidades dos pacientes da União Europeia, com a aprovação das autoridades.

Ricardo Dinis-Oliveira, do IUCS-CESPU, ressalta a intenção das entidades em aproveitar o potencial terapêutico da cannabis e psilocibina, combinando a capacidade dos profissionais da Unidade de Investigação 1H-TOXRUN dedicada ao estudo da toxicologia, o conhecimento acadêmico do Instituto Universitário de Ciências da Saúde e a inovação da Avextra Pharma.

Segundo Luís Quaresma, partner da Iberis Capital, há a convicção de que a Avextra se tornará líder europeia em cannabis medicinal. A parceria com o IUCS-CESPU e a Unidade de Investigação 1H-TOXRUN traz o talento português para a vanguarda do setor.