Inaugurados novos radares meteorológicos em Portugal para uma melhor previsão meteorológica

O Ministério de Económico inaugura dois novos radares meteorológicos financiados pelo PRR

O Ministério de Económico inaugura hoje dois novos radares meteorológicos da rede explorada pelo Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA), em Coruche (Cruz do Leão) e Loulé (Cavalos do Caldeirão). Os dois novos radares correspondem a um investimento global de cerca de 2,8 milhões de euros financiado pelo Plano de Recuperação e Resiliência (PRR), avança o Governo. “As infraestruturas que iniciam operação, após período de testes, correspondem a um investimento global de cerca de 2,8 milhões de euros, financiado pelo PRR, e integram uma rede de cinco radares meteorológicos (Arouca, Coruche, Loulé, Porto Santo e Terceira) explorada pelo IPMA”, refere o Ministério.

Radares meteorológicos oferecem vantagens socioeconómicas e tecnológicas

“Estes radares oferecem vantagens significativas para os setores socioeconómicos, que se desenvolvem em ambientes costeiro e marítimo e dotam o país de tecnologia que amplia a sua capacidade para entender e prever padrões e alterações climáticas e outros fenómenos meteorológicos”, lê-se no comunicado.

Transição para polarização dupla amplia capacidade de monitorização e previsão meteorológica

O Secretário de Estado do Mar, José Maria Costa é que inaugurou os novos radares meteorológicos de Coruche (Cruz do Leão) e de Loulé (Cavalos do Caldeirão), respetivamente. “O início de operação destes radares integra a transição da polarização simples para polarização dupla, processo em fase avançada na União Europeia, e permite a Portugal figurar na linha da frente da monitorização e previsão meteorológica, ampliando a sua capacidade para entender e prever padrões e alterações climáticas e outros fenómenos meteorológicos”, explica o Governo.

MAIS:  UE implementa novo instrumento anti-coerção económica para proteger os seus interesses

Radares com tecnologia avançada para uma melhor discriminação dos fenómenos atmosféricos

“Os novos radares oferecem vantagens para vários setores socioeconómicos, nomeadamente os que se desenvolvem em ambientes costeiro e marítimo, e dotam o país de tecnologia que permite uma melhor discriminação entre os diversos tipos de partículas atmosféricas, melhor distinguindo entre chuva, neve, granizo e outros fenómenos, de particular importância para a previsão de condições meteorológicas no mar”, acrescenta.

Radares permitem maior capacidade de prever inundações costeiras e detectar tsunamis

O Ministério da Economia diz que com estes radares “pode-se agora, de forma mais precisa, monitorizar a intensidade e a movimentação de sistemas de precipitação, como chuvas intensas, o que oferece maior capacidade de prever inundações costeiras, detectar mudanças na pressão atmosférica e outras condições extremas que podem indicar a formação de tsunamis, ampliando a capacidade de alerta para comunidades costeiras e embarcações em alto-mar, mitigando riscos materiais e ambientais e melhor salvaguardando pessoas e bens”.