BCE deve manter taxas de juros até o segundo semestre de 2024

BC Europeu não deve agravar taxas de juros

O Banco Central Europeu não deverá voltar a agravar as taxas de juro no atual ciclo, mas o primeiro corte deverá acontecer bem mais tarde do que previsto anteriormente, de acordo com uma sondagem da Bloomberg. Os economistas agora preveem que o primeiro alívio da política monetária será feito em setembro, em vez de março.

Mensagem dos decisores políticos

Os responsáveis do banco central intensificaram a mensagem de que os juros terão que ficar em níveis restritivos por um período prolongado para garantir a inflação baixa para a meta dos 2%. Esta mensagem está influenciando a opinião dos economistas e levou a uma alteração nas previsões.

Resultados da sondagem

O último inquérito da Bloomberg mostrou divergências em relação à previsão anterior, quando ainda se esperava uma redução das taxas de juros em março. Agora, os economistas apontam para uma redução em setembro e outra em outubro.

Estimativas para inflação e PIB

Ainda segundo a Bloomberg, a inflação deverá atingir uma média de 2,1% em 2025, próxima da meta estabelecida. Os economistas também preveem que a inflação vai descer para 2,7% no próximo ano e 2,1% em 2025. Quanto ao PIB, espera-se um crescimento de apenas 0,7% em 2024, após uma expansão de 0,5% este ano.

MAIS:  Decisão do Banco Central Europeu de pausar as taxas de juro

Medidas para aliviar juros não solucionam crise habitacional

É importante ressaltar que as medidas para aliviar as taxas de juros são provisórias e não resolvem a crise habitacional em curso.