A cibersegurança é uma prioridade para a esmagadora maioria das empresas do setor energético

A MAIORIA DAS EMPRESAS DO SETOR ENERGÉTICO PRIORIZA A CIBERSEGURANÇA
O Barómetro de Cibersegurança OT 2023 revelou que a maioria das empresas do setor energético tem a cibersegurança como uma das suas prioridades. Comparado a outros setores, 84% das empresas do setor energético estão mais conscientes da importância de ter um roteiro onde a segurança seja uma prioridade. Enquanto isso, 46% das empresas da Indústria e Consumo consideram importante desenvolver um plano nessa área no futuro. A transformação digital traz benefícios para o setor, mas também aumenta os riscos de cibersegurança.

EMPRESAS DO SETOR ENERGÉTICO SEGUEM BOAS PRÁTICAS DE SEGURANÇA
Segundo o relatório, todas as empresas energéticas entrevistadas afirmam que seguem as boas práticas definidas pelos regulamentos internacionais e específicos do setor em relação à segurança.

EMPRESAS DO SETOR ENERGÉTICO DEFINEM SUAS PRÓPRIAS ESTRATÉGIAS DE CIBERSEGURANÇA
O Barómetro de Cibersegurança OT 2023 também revela que 76% das empresas energéticas entrevistadas definiram sua própria estratégia de cibersegurança para cumprir os requisitos de controle e análise de riscos específicos. Além disso, 53% utilizam soluções avançadas de proteção de ativos digitais e 69% possuem ferramentas automáticas para realizar inventário.

MAIS:  Hipoges realiza duas grandes vendas no setor imobiliário de luxo em Portugal

CIBERSEGURANÇA COMO UMA ÁREA ESTRATÉGICA
O CEO da SIA, Roberto Espina, enfatiza que a cibersegurança continua sendo uma área estratégica que precisa ganhar mais força nas empresas do setor energético, a fim de atingir um nível ótimo de proteção. Ele destaca a importância de uma abordagem especializada e abrangente para garantir um ambiente de produção resiliente no espaço cibernético.