Crise no Oriente Médio pressiona Wall Street no início da semana

Queda na bolsa de Nova York devido à escalada de tensão geopolíticas no Médio Oriente

A bolsa de Nova Iorque deu início à semana com uma queda, refletindo a escalada de tensões geopolíticas no Médio Oriente, após o conflito entre o Hamas e o Estado de Israel no fim de semana.

Principais índices afetados

O Nasdaq é o índice mais afetado, recuando 0,72% nos primeiros minutos da negociação desta segunda-feira. Em seguida, o S&P 500 cai 0,23% e o Dow Jones perde 0,06%.

Setores afetados pelas tensões

As tensões geopolíticas em Israel estão causando pressão em setores como o de semicondutores e cibersegurança. Empresas como Intel e Mobileye, listadas em Nova Iorque, têm seus planos de expansão afetados. Além disso, empresas de cibersegurança como Check Point e Palo Alto também são impactadas.

Setores beneficiados

Por outro lado, empresas do ramo da defesa, como Lockheed Martin, e o setor energético podem se beneficiar da conjuntura. A escalada dos preços do petróleo também contribui para a pressão nos mercados e para os receios de aumento da inflação.

MAIS:  Alfonso Gallego de Chaves tornou-se o novo CEO da Aon Ibéria e presidente da Aon Espanha

Aumento dos preços do gás natural

A suspensão da central israelita de gás da Chevron está levando a um aumento nos preços do gás natural.

Impacto no mercado petrolífero

No mercado petrolífero, os preços do petróleo bruto e do Brent estão em alta, enquanto o gás natural também registra um aumento no preço.

Goldman Sachs afasta impactos na produção mundial de petróleo

O Goldman Sachs afirma que, por enquanto, não há impacto na produção mundial de petróleo após os ataques do Hamas contra Israel. O banco considera improvável qualquer efeito imediato e significativo no curto prazo no equilíbrio entre oferta e demanda, bem como nos estoques de curto prazo.