O Google será levado a julgamento por violar patentes de tecnologia de IA

A Google enfrenta julgamento por infracção de patentes de IA
A Google será julgada em Boston, numa ação movida pela Singular Computing, uma empresa que acusa a gigante tecnológica de copiar a sua tecnologia de processadores utilizados na inteligência artificial (IA). A Singular Computing, fundada pelo cientista de computação Joseph Bates, alega que a Google utilizou a sua tecnologia para melhorar recursos de IA em serviços como a pesquisa Google, o Gmail e o Google Tradutor. A Singular está a pedir uma indemnização de sete mil milhões de dólares, a maior de sempre por infracção de patentes nos Estados Unidos.

Google nega as acusações
A Google nega as acusações da Singular Computing, considerando as patentes desta empresa “duvidosas”. A gigante tecnológica afirma que desenvolveu os seus processadores de forma independente ao longo de vários anos e considera as acusações infundadas.

Singular alega partilha de tecnologia
Segundo a Singular Computing, a empresa partilhou as suas inovações na área de processamento de computadores com a Google entre 2010 e 2014. A empresa alega que as unidades de processamento tensor da Google, utilizadas na IA, copiam a sua tecnologia e violam duas patentes.

MAIS:  Robert Dunn nomeado presidente executivo interino da Start Campus após renúncia dos arguidos da operação influencer

Processadores da Google revolucionaram a IA
De acordo com a ação judicial, os processadores da Google utilizam uma arquitetura inovadora descoberta por Bates, que permite um maior poder de processamento e revolucionou a forma como são feitos o treino e a inferência de IA. A Singular afirma que as versões 2 e 3 das unidades lançadas em 2017 e 2018 violam os seus direitos de patente.

Google argumenta que as patentes são inválidas
A Google defende que os seus processadores funcionam de maneira distinta da tecnologia patenteada pela Singular Computing e que estas patentes são inválidas.

A Google enfrenta um julgamento em Boston por acusações de infracção de patentes de IA, movida pela Singular Computing. A Singular alega que a Google copiou a sua tecnologia e utilizou-a para melhorar os recursos de IA nos seus serviços. A Google nega as acusações e argumenta que desenvolveu os seus processadores de forma independente. A Singular está a pedir uma indemnização recorde de sete mil milhões de dólares.