Queda de 0,85% na bolsa de Lisboa com destaque para a Galp

Queda de 0,85% na bolsa de Lisboa com destaque para a Galp
A bolsa de Lisboa registou uma queda de 0,85% na sessão desta segunda-feira, situando-se nos 6.478,25 pontos. Um dos principais destaques foi a queda de 3,58% das ações da Galp, que estavam a ser negociadas a 13,89 euros. Esta queda deveu-se à redução dos preços do barril de crude e de Brent a nível global.

Mota-Engil e EDP Renováveis também registaram quedas
A Mota-Engil registou uma queda de 2,46%, ficando-se pelos 4,355 euros por ação. Já a EDP Renováveis desvalorizou 1,89%, situando-se agora nos 17,34 euros por ação. Por outro lado, a Jerónimo Martins registou o maior ganho do dia, com uma subida de 0,81%, alcançando os 22,44 euros.

Principais índices europeus em alta
No que diz respeito aos principais índices europeus, todos registaram subidas. A Alemanha liderou com uma subida de 0,73%, seguida pelo índice agregado Euro Stoxx 50 (0,46%), Espanha (0,44%), Itália (0,41%) e França (0,40%). O Reino Unido registou uma subida mais ténue, de 0,06%.

MAIS:  Consumo de eletricidade em Portugal aumenta 3,5% em novembro

Queda nos preços do petróleo e subida do euro
O barril de Brent registou uma queda de 3,76%, situando-se nos 75,78 dólares, enquanto o crude recuou 4,53% e estava a ser negociado a 70,47 dólares. Em relação ao euro, valorizou-se 0,31% e um euro corresponde agora a 1,0975 dólares.

Descida dos juros de dívida soberana e queda dos preços do petróleo como fatores influenciadores
De acordo com a análise do departamento de mercados acionistas do Millenium Investment Banking, as bolsas europeias foram ganhando tração ao longo da sessão devido à descida dos juros de dívida soberana. Além disso, a queda dos preços do petróleo nos mercados internacionais, após a Arábia Saudita cortar os preços oficiais de venda, levou a acreditar que isso poderá reduzir as pressões inflacionistas e justificar descida de juros, o que animou os setores cíclicos. No entanto, os analistas alertam para as problemáticas geradas por este panorama, nomeadamente no setor Energético que foi afetado negativamente, levando a uma queda superior a 3% da Galp, num dia em que o PSI contrariou os ganhos exteriores.

MAIS:  A proposta da IL para compensar os cidadãos com a devolução do dinheiro da privatização da TAP foi rejeitada