Consumo de eletricidade em Portugal aumenta 3,5% em novembro

Consumo de eletricidade com aumento de 3,5% em novembro em Portugal

O consumo de eletricidade em novembro aumentou 3,5% em comparação ao mesmo mês do ano passado, de acordo com a Agência para a Energia (ADENE). Este crescimento no consumo está alinhado com a elevada produção hídrica do país e um saldo positivo nas exportações de eletricidade.

Energias renováveis abasteceram 87,3% do consumo de eletricidade em Portugal

Segundo a ADENE, as energias renováveis foram responsáveis por abastecer 87,3% do consumo de eletricidade em Portugal Continental. O país exportou mais eletricidade do que importou e as energias não renováveis atenderam a 12,7% do consumo. A produção renovável teve uma repartição de 47,5% de energia hídrica, 30,8% de energia eólica, 4,5% de energia solar fotovoltaica e 4,5% de biomassa.

Destaca-se que a produção não renovável teve uma queda significativa de 61% em relação ao mesmo mês do ano anterior, resultando em um saldo exportador.

Consumo de gás natural em baixa em novembro em Portugal

No que diz respeito ao consumo de gás natural, a ADENE destacou que novembro foi marcado pelo baixo consumo e pelo aumento das importações por meio das interligações com Espanha. O consumo de gás natural em novembro diminuiu 31% em comparação ao mesmo mês do ano passado.

MAIS:  Sindicato dos Trabalhadores denuncia a exclusão dos bancários do estatuto do cuidador informal em Portugal

O mercado elétrico, responsável pelo gás natural consumido nas centrais de ciclo combinado para a produção de eletricidade, representou 24,3% do consumo total, enquanto os restantes 75,7% foram destinados ao mercado convencional.

O consumo de eletricidade em Portugal aumentou 3,5% em novembro em comparação ao mesmo mês do ano anterior, de acordo com a Agência para a Energia (ADENE). As energias renováveis abasteceram 87,3% do consumo de eletricidade, impulsionando o país a ter um saldo exportador de eletricidade. Além disso, o consumo de gás natural diminuiu 31% em novembro, com o mercado elétrico representando uma parcela significativa do consumo. No geral, Portugal continua a investir nas energias renováveis e a reduzir sua dependência de energia não renovável.