Pedro Sánchez será reconduzido como primeiro-ministro de Espanha

O acordo para a recondução de Pedro Sánchez como primeiro-ministro de Espanha

O partido socialista espanhol (PSOE) fechou o último acordo para a recondução de Pedro Sánchez como primeiro-ministro de Espanha, com o Partido Nacionalista Basco (PNV), confirmou hoje esta formação política.

A assinatura do acordo

O acordo será assinado hoje pelo próprio Pedro Sánchez e pelo líder do PNV, Andoni Ortuzar, em Madrid, no Congresso dos Deputados (parlamento de Espanha), disse o partido basco, numa nota enviada à imprensa.

Os apoios parlamentares necessários

Com a confirmação deste acordo, o PSOE consegue reunir os apoios parlamentares necessários para Pedro Sánchez ser reconduzido primeiro-ministro de Espanha, à frente de um governo de coligação dos socialistas com o Somar, uma plataforma de forças de esquerda, na sequência das eleições de 23 de julho.

Os partidos necessários para a viabilização do governo

A viabilização deste governo do PSOE e do Somar precisa do apoio parlamentar de outros cinco partidos: os bascos PNV e EH Bildu, Esquerda Republicana da Catalunha (ERC), Juntos pela Catalunha (JxCat) e Bloco Nacionalista Galego (BNG).

MAIS:  Secretário-geral da onu nomeia grupo de revisão para avaliar a "neutralidade" da Unrwa

Reeleição de Pedro Sánchez como primeiro-ministro de Espanha

Palavras-chave: Pedro Sánchez, partido socialista espanhol (PSOE), acordo, recondução, primeiro-ministro, Espanha, Partido Nacionalista Basco (PNV), apoio parlamentar, governo de coligação, Somar, eleições.