A Câmara do Porto concede um fundo municipal às lojas da cidade com tradição no comércio.

A Câmara do Porto vai atribuir fundos municipais às lojas que fazem parte do sistema ‘Porto de Tradição’, no sentido de promover o desenvolvimento de cada uma delas. O ato de assinatura dos contratos do Fundo Municipal de Apoio Porto de Tradição, que possibilita a atribuição de fundos a lojas tradicionais da cidade, inseridas no programa Porto de Tradição, decorre esta tarde.

Participam na cerimónia o presidente da Câmara Municipal do Porto, Rui Moreira, e o vereador Ricardo Valente, com o Pelouro das Finanças, Atividades Económicas e Fiscalização.

Desde a sua criação, o Porto de Tradição já reconheceu mais de uma centena de estabelecimentos e entidades e o montante do apoio municipal supera os 1,2 milhões de euros, segundo avança a própria autarquia.

O objetivo deste fundo é colmatar a incapacidade financeira dos proprietários para a realização de investimentos relevantes nos seus estabelecimentos e entidades. O fundo apoia a recuperação, restauro e manutenção do património que se pretende salvaguardado, bem como a modernização, divulgação e promoção dos estabelecimentos e entidades.

O sistema foi criado depois de a câmara reconhecer a importância de salvaguardar o comércio local e tradicional, o que levou a autarquia “a definir e implementa políticas dirigidas à revitalização sustentável das atividades económicas que, pelo seu papel relevante no plano cultural, de valorização do património histórico e das vivências tradicionais da cidade, mereçam um reconhecimento por parte do Município do Porto”.

MAIS:  Um estudo revela que 91% dos consumidores têm a intenção de aproveitar a Black Friday

Neste contexto, e ainda segundo a autarquia, foi constituído em 2016 o Grupo de Trabalho Porto de Tradição, composto por representantes dos pelouros da Economia, Turismo e Comércio, da Fiscalização, da Cultura, do Urbanismo e da Habitação e Coesão Social, e por representantes das faculdades de Arquitetura, Letras e Belas Artes da Universidade do Porto, da Associação dos Comerciantes do Porto, da Associação Nacional de Proprietários e do Departamento Municipal de Turismo e Comércio da Câmara Municipal do Porto.

A missão deste grupo de trabalho foi conceber e propor critérios para a distinção de estabelecimentos comerciais e de entidades de interesse histórico, cultural ou social local, de acordo com elementos urbanísticos, arquitetónicos, históricos, artísticos, culturais, económicos e sociais, e ainda definir e propor medidas de apoio e proteção destes estabelecimentos e entidades.