Biden restringe acesso da China a chips da Nvidia e amplia restrições a mais países

O governo e Biden planeiam interromper envios de chips de IA para a China

O governo dos Estados Unidos, liderado pelo presidente Joe Biden, anunciou na terça-feira que planeia interromper os envios de chips de inteligência artificial (IA) mais avançados para a China. Esta medida faz parte de um conjunto de ações com o objetivo de impedir que Pequim obtenha tecnologias de ponta dos EUA para fortalecer as suas forças armadas.

Novas regras para restringir acesso da China a chips avançados

Segundo fontes do governo, as novas regras restringirão uma gama mais ampla de chips avançados e ferramentas de fabricação de chips a outros países, como o Irão e a Rússia. Além disso, designers de chips chineses, como a More Thread e a Biren Technology, serão colocados na lista negra.

Medidas para dificultar desenvolvimento militar da China

Essas medidas têm como objetivo dificultar o desenvolvimento militar da China, preenchendo lacunas nos regulamentos divulgados em outubro do ano passado. De acordo com uma secretária do departamento do Comércio americano, esses regulamentos provavelmente serão atualizados anualmente.

MAIS:  Cooperação mais pragmática com a China é defendida pelo Parlamento Europeu

Limitar acesso da China a semicondutores avançados

A secretária do departamento do Comércio americano, Gina Raimondo, afirmou que o objetivo é limitar o acesso da China a “semicondutores avançados que possam alimentar avanços em IA e computadores sofisticados que são críticos para aplicações militares chinesas”. Ela ressaltou que a administração não busca prejudicar economicamente Pequim.

Tensões na guerra tecnológica entre EUA e China

Os Estados Unidos e a China estão envolvidos em uma guerra tecnológica há anos e as restrições impostas no ano passado aumentaram ainda mais as tensões entre as duas superpotências.

Ações das empresas afetadas pelas novas regras

A empresa Nvidia, fabricante de chips como o A800 e H800, afirmou que cumpre os regulamentos e não espera um impacto significativo em seus resultados financeiros a curto prazo. No entanto, suas ações caíram 7%. A AMD, também impactada pelas novas regras, planeia adotar uma estratégia semelhante.