Funchal bate recorde de temperatura com 34,7 graus – IPMA

Recorde climático em Madeira com temperatura máxima de 34,7 graus centígrados

O Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA) informou que na quinta-feira, Madeira alcançou um recorde climático com o Funchal atingindo a temperatura máxima de 34,7 graus centígrados. O recorde anterior no Funchal foi anotado em 23 de outubro de 2014, com temperaturas de 34,3 graus.
Outubro é considerado um mês de transição entre o verão e o outono em Madeira, sendo comum ter dias quentes. No entanto, os valores mais frequentes da temperatura máxima do ar têm variado entre 28 e 29 graus Celsius.

Os registos contínuos em Funchal, que são realizados desde 1865, mostram que em outubro de 1875 a temperatura ultrapassou os 30 graus. Em 1909, foram atingidos 31 graus, 32 graus em 1930, 33 graus em 1942 e 34 graus em 1995.
O IPMA destaca que ao longo do tempo os valores recordes da temperatura máxima do ar têm aumentado significativamente, principalmente nos últimos anos.

Nos últimos dias, o clima na Madeira tem sido influenciado por uma massa de ar tropical quente e seca, com origem no deserto do Saara. Essa situação meteorológica é causada pela circulação conjunta de um anticiclone na Europa Ocidental e um vale depressionário que se estende do Norte de África à Península Ibérica.

MAIS:  Secretário-geral da onu nomeia grupo de revisão para avaliar a "neutralidade" da Unrwa

Essa condição de clima quente e seco deve persistir na próxima semana devido ao bloqueio anticiclónico, que contribui para temperaturas máximas entre 29 e 34 graus e mínimas entre 21 e 25 graus.

O IPMA emitiu um aviso laranja para as costas norte e sul da Madeira, zonas montanhosas e ilha do Porto Santo, o segundo mais grave de uma escala de três. Não está prevista precipitação na Madeira até segunda-feira.
Com base nas previsões, o Serviço Regional de Proteção Civil emitiu recomendações à população para adotar medidas de prevenção contra incêndios rurais. Alguns focos de incêndio em áreas inacessíveis foram detectados nos últimos dias, exigindo a intervenção do helicóptero de combate a incêndios.
No concelho da Ribeira Brava, os bombeiros estão em alerta na zona da Furna, com cinco membros e um carro de combate.